Páginas

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

ADOLESCENTE OU ADULTO? LIBRAS OU LEÃO?

Adolescência até os 25 anos? A utilização de faixas etárias para definir amadurecimento é o mesmo que usar a data de nascimento para definir a personalidade. É a necessidade de dar nomes aos bois, nesse caso para estudá-los, no caso dos signos não sei, mas é forçada essa nova definição baseada apenas na idade e no desenvolvimento fisiológico do cérebro, assim como a definição de adulto aos 18 anos sempre foi, somos mais do que isso, somos mudança, movimento, ação e um emaranhado de escolhas, atitudes, relações e vivência.

Apesar de não ser o maior fã da nomenclatura as etapas da vida de um ser humano, ainda acho que aos vinte e cinco anos já não somos mais adolescentes, deixamos de ser muito antes disso, somos adultos já, adultos emergentes talvez. Alguns mais maduros e melhor resolvidos, com uma carreira sólida e tudo mais, outros não, mas chamá-los de adolescentes é demais.

Lendo essa matéria sobre os, estima-se, 1 milhão de jovens no Japão que estão enfurnados em suas casas, a maioria na casa dos pais, a maioria vai ficar ali por décadas. Basicamente por causa da pressão exercida pela sociedade de desempenho excelente e conquista do melhor e mais rápido. Já em outra matéria, dessa vez sobre os jovens americanos, eles estão saindo de casa mais tarde por conta da crise generalizada do governo americano, da alta dos imóveis e falta de grana mesmo, isso tá modificando a cultura americana e modificando esses jovens, modificando assim os novos adultos americanos.

Essas duas notícias são exemplos claros da complexidade dessa fase de transição, que não depende somente de fatores psicológicos e fisiológicos, mais de uma conjuntura maior, envolvendo também o combo família-comunidade-sociedade-país. Que vão influenciar fatores como profissionalização, independência e amadurecimento, que influenciam diretamente a percepção de adulto.

Não podemos chamar jovens adultos de adolescentes só porque moram com os pais, ou porque o córtex pré-frontal não está completamente formado, ou porque ainda jogam horas a fio ou dormem até tarde. Não é a idade que vai dizer se somos adultos ou não, assim como não é data de nascimento que nos define.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

O MAIS FELIZ DA VIDA DA BANDA MAIS BONITA DA CIDADE

Depois de se tornar a nova banda brasileira queridinha e descolada, concorrer a principal premiação da MTV com o clipe de "Oração", se tornar assunto fácil nas redes sociais, blogs de música e impressa geral, A banda mais bonita da cidade agora em seu terceiro trabalho apresenta o álbum O mais feliz da vida, que está disponível para download gratuito no site da bandaO pacote disponível pra baixar contém não só todas as 11 novas músicas como encarte, capa e a parte de trás em um arquivo de mais ou menos 100MB.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

VALE-CULTURA

Agora sim! O Vale-Cultura já é uma realidade a partir desse mês! 


O Vale-Cultura é um cartão magnético pré-pago, válido em todo território nacional,  no valor de R$ 50,00 mensais, que vai possibilitar ao trabalhador de carteira assinada ir ao teatro, cinema, museus, espetáculos, shows, circo ou mesmo comprar ou alugar CDs, DVDs, livros, revistas e jornais. O Vale também pode ser usado para fazer cursos de artes, audiovisual, dança, circo, fotografia, música, literatura ou teatro.

Dá até pra fazer um programinha cultural mais caro, já que o crédito é cumulativo e não tem validade. Você não usa por uns meses, ou usa menos e com o que acumulou você vai à forra! Como ir a bienal do livro, fazer um curso de teatro, pintura a dedo ou comprar um box especial daquela série.

Mas você, pessoa assalariada, depende do seu querido empregador para aproveitar esse lindo benefício, o governo exige a adesão das empresas. Pra isso o governo está oferecendo desconto no Imposto de Renda das empresas e deixando esse valor livre de encargos trabalhistas.

Fica a critério do empregado a participação no programa desde que o empregador tenha feito a adesão, as empresas têm de oferecer o Vale-Cultura prioritariamente aos trabalhadores que recebem até 5 salários mínimos.

Sim você vai pagar por isso, mas vai sair no lucro, já que o trabalhador com até 5 salários mínimos vai ter descontado de sua magra remuneração no máximo R$5. Assim:
  • Quem ganha até 1 salário paga  R$1;
  • Acima de 1 e até 2 salários, o desconto é de R$2; 
  • Acima de 2 até 3, R$3;
  • Acima de 3 até 4, R$4; 
  • Acima de 4 até 5, R$5;
  • Para quem ganha acima dessa faixa, o desconto varia de 20% a 90% do valor do benefício, ou seja, pode chegar a R$45, ou seja, melhor não né!?

E agora já? Desde o dia 23 de setembro, as empresas que quiserem já podem se habilitar no sistema de credenciamento, disponível no site do Ministério da Cultura, que pode ser feito a qualquer momento, não tem prazo limite nem pegadinha, basta vontade da empresa e do empregador, não nessa respectiva ordem.

E vale em compras pela internet! Desde que a loja esteja cadastrada no programa! O que inicialmente deve incluir somente os maiores nomes do e-commerce, depois populariza minha gente.



Lista dos produtos e serviços do Vale-Cultura


Senti falta do Blu-ray, serviços online, como compra de música e das histórias em quadrinho, gibis e mangás.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

A CULPA É DAS ESTRELAS

O livro A culpa é das estrelas vai virar filme, já tem elenco e está sendo filmado, com estreia programa para 2014, o livro vigora entre os três primeiros em diversas listas dos mais vendidos atualmente. O autor do livro é o jovem escritor John Green, fã de Harry Potter, vlogger e escritor.

John Green, 36 anos.

O livro descreve a vida simples e limitada da jovem Hazel Grace, que aos 16 anos é uma sobrevivente com câncer, graças a um novo remédio que promete prolongar sua curta vida. Logo somos apresentados ao carismático, e também doente, Augustos e descobrimos o que um livro sem fim pode fazer pela vida desses dois.



A narração é simples, os diálogos mais complexos e a situação é sempre delicada. Por mais que todos no universo do livro estejam conformados com a morte, surpreende essa certeza, os preparativos, a aceitação.
Não é triste e deprimente, é muitas vezes cheio de vida e esperançoso, assim como estranhamente cotidiano. Não é sobre uma adolescente que frequenta a escola, sai com os amigos, mas sim sobre uma moça entre hospitais, cânceres (sim, existe plural de câncer) e grupos de apoio.
Hazel é um personagem legal, uma adolescente legal. Augustos é surpreendentemente cativante, a uma segunda vista, e Uma Aflição Imperial, livro fictício do livro, também.

Shailene Woodley em Os Descendentes (2011).

O diretor será Josh Boone (Stuck in Love, 2012), com Ansel Elgort como Augustus Waters, é um ator desconhecido por aqui e que estará no esperado remake de Carrie, com estreia prevista pra dezembro/2013 e Shailene Woodley, a filha de George Clooney em Os Descendentes (2011), viverá a protagonista Hazel Grace Lancaster.

sábado, 12 de outubro de 2013

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

NAMORAR É PRECISO?

Se por volta dos trinta anos nos é cobrado responsabilidade e casamento, aos vinte é cobrado estudo, trabalho e namoro. É sim! Se você não tem mais os pais por perto (mesmo assim eles podem cobrar), amigos, vizinhos, colegas de trabalho, todos cobram, exigem nos pequenos comentários, na clássica pergunta: "tá namorando?", nas indiretas, elas estão lá! 

Mas por que é tão importante namorar? Por que? Por que? Por que?



Vamos lá, aos prós e contras:


NAMORAR É...



  • Ser apreciado;
  • Sexo;
  • Aproveitar o Dia dos namorados/Aniversário de Namoro;
  • Fazer programas destinados a dois;
  • Ter sempre companhia pra sair e pra ficar em casa;


NÃO NAMORAR É...



  • Não ter que dar tanta satisfação das suas ações;
  • Curtir a solidão produtiva (emprestado do ócio produtivo);
  • Menos gastos (não aplicável a todos os casos);
  • Sem discussões;
  • Poder sair com os amigos, sem exceções.


Ok. Com cinco prós e contras assim tão bum! Jogados na cara, não sei se alguém consegue pensar direito. E não é uma decisão unilateral e depende de diversas variáveis que mudam de acordo com o indivíduo em questão, tempo, espaço e a variação do preço da banana.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

BANANA BOAT SONG

Uma música só e toda sua infância volta!

Não sei ao certo de quem foi a ideia, deve ter sido do próprio Danny Elfman que assina a trilha sonora de Beetlejuice (Br: Os fantasmas se divertem), mas colocar The Banana Boat Song (Day-O), uma composição jamaicana na voz de  Harry Belafonte em um dos melhores momentos do filme foi uma escolha perfeita, não sei ao certo se a música tornou a cena memorável ou se a cena que o fez pela música.

A música rouba a cena em Beetlejuice (1988).


Mas fez menos por Grace em Day-O (1992).



Parafraseando um grande blogueiro: "1 up e 1 down".

Nada de sentar à cabeceira da mesa, se não:


Day-o, day-o
Daylight come and me wan' go home
Day, me say day, me say day, me say day
Me say day, me say day-o
Daylight come and me wan' go home

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

GREY GARDENS

A história por trás dos jardins cinza da tia e prima de Jacqueline Kennedy (ex-primeira-dama dos EUA) é incrível, absolutamente palpável e ao mesmo tempo tão inacreditável. 

Edith Ewing Bouvier Beale (1895-1977), conhecido como "Big Edie", e sua filha Edith Bouvier Beale (1917-2002), conhecida como "Little Edie" viviam juntos em uma casa projetada em 1897 por Joseph Greenleaf Thorpe e comprado em 1923 por "Big Edie" e seu marido Phelan Beale. Depois que Phelan deixou sua esposa, "Big Edie" e "Little Edie" viveram lá mais de 50 anos com recursos limitados no aumento da miséria e isolamento.




A casa, que fica em East Hampton, balneário próximo a Nova York, foi chamado Grey Gardens por causa da cor das dunas, os muros do jardim de cimento, e a neblina do mar.




No outono de 1971 e durante 1972, devido as suas condições de vida, sua casa estava infestada por pulgas, habitado por numerosos gatos e guaxinins, privada de água corrente, e cheio de lixo. A decadência foi exposta como resultado de um artigo na National Enquirer e uma reportagem de capa da New York Magazine.

A partir de então essa história ganhou o mundo através das mais diversas formas, é impressionante como a vida delas foi retratada, como elas foram do glamour e boa vida da década de 20 para o completo desleixo e miséria em cerca de 50 anos.

DOCUMENTÁRIO



Albert e David Maysles tornaram-se interessados na história e receberam permissão para filmar um documentário sobre as mulheres, que foi lançado em 1976, para grande aclamação da crítica. Sua técnica de cinema direto deixou as mulheres para contar suas próprias histórias.

MUSICAL



O musical abriu Off-Broadway em Playwrights Horizons em 10 de fevereiro de 2006 e funcionou até 30 de abril de 2006. Dirigido por Michael Greif com coreografia de Jeff Calhoun, ele estrelou Christine Ebersole, Mary Louise Wilson e John McMartin.
Conquistou o prêmio de melhor musical do Outer Critics Circle. Christine Ebersole foi escolhida melhor atriz no Drama Desk, no Drama League Award e no Outer Critics Circle. Ela também ganhou o Tony, o principal prêmio do teatro americano, graças à temporada na Broadway entre 2006 e 2007.
Ganhou uma versão Brasileira em 2013 dirigida por Wolf Maya.

TELEFILME



Produzido pela HBO, estrelado por Drew Barrymore e Jessica Lange e vencedor em 2009 dos Emmys de melhor filme para TV e melhor atriz (Jessica Lange) e os Globo de Ouro de melhor filme para TV e melhor atriz (Drew Barrymore). 

TV

Referências de Grey Gardens já apareceram em séries como The New Normal (1ª temporada, episódio 2: "Sofa's Choice"), New Girl (2ª temporada, episódio 8: "Parents") e no reality RuPaul's Drag Race (5ª temporada, episódio 5: "Snatch Game").