Páginas

sexta-feira, 16 de maio de 2014

APRECIAÇÃO FINAL AS CRÔNICAS DE NÁRNIA

Terminei, já faz mais de mês e isso poderia ter passado numa boa, MAS não vai passar, já que sem dúvida essa é uma das melhores histórias de fantasia que já li, juntamente com Harry Potter (uma grande reverência a J. K. Rowling nesse momento), mas se um dia tiver um filho, essas vão ser as primeiras histórias que vou ler pra ele. Cada pequeno conto ligado a outro, com personagens fantásticos, místicos, mitológicos ou surpreendentemente novos, todos ligados pelo verdadeiro país das maravilhas: Nárnia e por uma grande referência aos deuses ou ao próprio Deus: Aslam. Pois bem, deu pra notar meu encanto com tudo isso em uma postagem anterior, já no primeiro livro eu fiquei todo besta e entendi muito do que os fãs dessa série sentem. As crônicas de C. S. Lewis são distribuídas em sete pequenos livros:

  • O sobrinho do mago;
  • O Leão, a Feiticeira e o guarda-roupa;
  • O cavalo e seu menino;
  • O príncipe Caspian;
  • A viagem do peregrino da alvorada;
  • A Cadeira de Prata;
  • A Última Batalha.


Uma das minhas passagens preferidas de um dos melhores personagens da série de livros:

— Uma palavrinha, dona — disse mancando de dor —, uma palavrinha: tudo o que disse é verdade. Sou um sujeito que gosta logo de saber de tudo para enfrentar o pior com a melhor cara possível. Não vou negar nada do que a senhora disse. Mas mesmo assim uma coisa ainda não foi falada. Vamos supor que nós sonhamos, ou inventamos, aquilo tudo — árvores, relva, sol, lua, estrelas e até Aslam. Vamos supor que sonhamos: ora, nesse caso, as coisas inventadas parecem um bocado mais importantes do que as coisas reais. Pois, pra mim, o seu mundo não basta. E vale muito pouco. E o que estou dizendo é engraçado, se a gente pensar bem. Somos apenas uns bebezinhos brincando, se é que a senhora tem razão, dona. Mas quatro crianças brincando podem construir um mundo de brinquedo que dá de dez a zero no mundo real. Por isso é que prefiro o mundo de brinquedo. Estou do lado de Aslam, mesmo que não haja Aslam. Quero viver como um narniano, mesmo que Nárnia não exista. Assim, agradecendo sensibilizado a sua ceia, se estes dois cavalheiros e a jovem dama estão prontos, estamos de saída para os caminhos da escuridão, onde passaremos nossas vidas procurando o Mundo de Cima. Não que as nossas vidas devam ser muito longas, certo; mas o prejuízo é pequeno se o mundo existente é um lugar tão chato como a senhora diz.
 Brejeiro em A cadeira de prata. 
Brejeiro diretamente da  Wood & Ivory

Os livros contam em ordem cronológica os acontecimentos de um outro mundo, de outros países, sempre ligados a magia e ao nosso mundo, cada aspecto da história é contado com riqueza de detalhes e tudo com grande significado.
Talvez a escolha de não transformar os sete livros da série em filmes tenha sido muito mais comercial do que ligada a conteúdo, já que todos eles tem qualidade, coisa que não se pode dizer de todos os filmes, mas ok.


Que fique então registrado aqui meu fascínio pelos livros!



3 comentários:

  1. Nunca tive paciência pra ler. Muito grossos os livros...Rs.
    Que houve no FB ?

    ResponderExcluir
  2. Eu comecei a ler a saga do Harry Potter, gostei muito da forma como J.K. escreveu... fiquei com vontade de ler os outros livros... Quanto as Crônicas eu conheço pouco, mas confesso que fiquei com vontade de ler também por conta da sua descrição.

    O último livro que eu li foi A Culpa é das Estrelas, que vai ser lançado em filme em breve... gostei bastante e tem tudo para ser um ótimo filme!

    Abração.

    ResponderExcluir